[FP] Blavatsky, Romena

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[FP] Blavatsky, Romena

Mensagem por Romena Blavatsky em Sex Jun 27, 2014 10:54 pm


ROMENA BLAVATSKY
 
♀Robichaux's Academy
♀Poder: Toxicinese
♀19 anos

HISTÓRIA


Seria lindo contar uma historia de uma garota que cresceu na Russia, que ela teve uma infância brilhante e depois se mudou pros EUA em busca de uma faculdade de renome.

Mas essa droga de historia não seria minha, por que merdas acontecem, desci ao inferno e voltei inúmeras vezes antes de me tornar quem sou, a vida não é linda e passar fome nunca foi um troféu para se colocar na estante.

Não conheço meus pais, apenas me contaram que aos 8 anos eu fui achada desmemoriada vagando na neve, um pouco a frente viram um acidente, havia um casal morto no carro fazia algumas horas, como um mais um são dois, os policiais deram a entender que eu era filha deles, foi assim que cai no sistema, cresci em um orfanato, passei por alguns lares provisórios, nunca tive luxo e nem tenho bons modos, sou como um coiote solitário, sei como sobreviver, sei o que é acordar com estomago vazio e só ter pão e água para se alimentar, mas havia dias que nem pão tínhamos.

Oh não faça essa cara de pena enquanto enche a porra do seu prato de purê e carne, eu sei bem que você não move a sua bunda pra ajudar ninguém, minha infância sem raízes ou valores firmes, me fez tomar algumas escolhas erradas, as vezes achamos que podemos ter tudo que o mundo oferece sem pensar nas consequências, o dinheiro move o mundo e eu era dura, adivinhe! uma garota pobre, órfã e desesperada por dinheiro, para que ela recorre? prostituição, todas as tardes com o minimo de roupa e vulgaridade aflorando pelos poros, saía com homens que nunca vi na vida, salto alto e rebolado firme, batom forte e perfume barato, um gole de vodka para coragem e um cigarro para conter o medo de apanhar de alguém, alguns dias são mais difíceis que outros.

Eu me "sustentava" então sai de baixo das grandes asas do governo, morei em um cortiço, todo tipo de gente morava ali, desde o traficante até o pai de família, aonde estava o pote de ouro no fim do meu arco iris? desde pequena eu deixei de acreditar em contos de fada, um copo cheio de bebida era meu escape, o álcool foi meu travesseiro quando não tinha dinheiro para pagar o aluguel, dormir na rua é complicado ainda mais quando se é mulher, é como viver com o gatilho apontado pra cabeça, nunca se sabe se voce será o próximo "mendigo" incendiado.

Mas como minha vida tomou outro rumo? um cara me ofereceu grana para ir aos EUA, prostituição internacional, eu fui sabendo onde pisava, outras eram inocentes demais para perceber onde se metiam, não vou dizer que minha vida mudou quando pisei em solo americano, na verdade talvez eu diga que piorou, eu falava um inglês bem ruim e vivia em um quarto com mais 20 garotas, um cara surrava a gente todos os dias e nos mantinha drogadas sem nossos passaportes.

Tentava escapar todos os dias, eu sabia que era uma garota venenosa, mas não sabia que isso seria tomado em linhas tão literais, fazia 3 dias que estava acorrentada no quarto, o babaca que nos enfiou nessa latrina vinha soltar as correntes para me foder novamente, eu odiava o seu cheiro no meu corpo, mas em alguns momentos enfiamos nosso orgulho no saco, sobreviver é mais importante que dignidade, ele suava e me beijava, seu corpo pesado sobre o meu, o membro indo e voltando com fúria, a raiva borbulhava dentro de mim, já era tarde quando notei que ficou mais lento, enquanto sua pele assumia tons azulados, ele caiu sem vida ao meu lado, sem pensar duas vezes roubei meu passaporte de volta e fugi, peguei algumas caronas até o próximo estado e cai nas graças da magica New Orleans.

Não sabia o que podia fazer até então, só era uma puta perdida, talvez aquela hora os deuses tivessem sorrido para mim, pois encontrei abrigo onde menos esperei, elas se diziam praticantes de voodoo, me acolheram como uma família, trabalhei com elas, comi do mesmo prato que seus filhos, fiz amizades que jamais esquecerei, Levinsky foi uma delas, a vadia sabia como enfeitiçar caras como ninguém, mas nem tudo que é bom dura pra sempre e deus sabe como nasci ferrada.

A vida era boa até que meus dons afloraram, sempre soube que bruxas e voodoo não se misturavam, assim como água e óleo, a principio tentei esconder, mas quando seu dom é toxico isso fica difícil, Lev foi a primeira a descobrir, eu assisti o ódio e repulsa dançando uma valsa em seus olhos, ela contou a todos sobre mim, me entregou sem pensar duas vezes, acusações foram trocadas, aquele foi um dia maldito, juro que não fiz por mal, talvez fosse culpa da raiva, mas assim como na fabula do escorpião e do sapo, no calor do momento eu envenenei algumas delas, aquilo foi meu prego no caixão, novamente eu estava fugindo, dessa vez sabia que minha unica saída eram as bruxas.

Com o rabo entre as pernas cheguei na Robichaux's Academy e o olhar prepotente de Elizabeth recaiu sobre mim, ela sabia muito bem que eu vinha direto da casa do inimigo, mesmo assim me recebeu, não sei seus motivos para me abrigar, mas no momento essa é a minha casa, elas dizem que uma bruxa cuida da outra, mas se tem uma coisa que a vida me ensinou é que cada um cuida do seu próprio rabo e reza para que não acorde morta no dia seguinte.

Meu nome é Romena Blavatsky, tenho 19 anos, sou uma vadia, perdi parte das minhas memorias, vivo de favor com bruxas, sou a ovelha negra da academia, não tenho ideia do meu futuro e comerei você viva se tentar passar por cima de mim.


DESCRIÇÃO PSICOLÓGICA


Durona, boca suja, temperamental e violenta tal qual um cão raivoso.

Esconde seus sentimentos atrás de uma carapaça, raramente deixa alguém entrar e conhecer um pouco do lado bom dela.

Ela é ruim com as pessoas pois teve uma vida dura, não tem paciência para gente que tem tudo fácil, faz o que tiver que fazer para sobreviver, não tem tempo para lagrimas, a agressividade é como um escudo, quando apanha por anos, aos poucos se aprende a bater de volta, pouco chegada a afeto, pra ela o amor não existe, apenas sexo sem sentimento, pois foi assim que os homens ensinaram-lhe.

Seu psicológico é uma bagunça, tem ataques de fúria constantes, valores invertidos, pouca fé na humanidade e quase nenhuma confiança no coração das pessoas.

É alcoólatra pois desconta suas frustrações na bebida, fuma muito por sofrer de extrema ansiedade, foi diagnosticada com anorexia nervosa por causa dos traumas vividos, ocasionalmente tem tendencias auto destrutivas, não consegue se lembrar quem era, nem como vivia antes dos 8 anos.



DESCRIÇÃO FÍSICA


Extremamente magra, alta, olhar profundo, olhos escuros, sempre com ar ameaçador, o preto costuma ser um uniforme, feições marcantes, muita maquiagem escura, pele alva, boca carnuda e cabelos negros bem compridos.


_________________
There is a house in New Orleans
avatar
Romena Blavatsky
Miss Robichaux's Academy
Miss Robichaux's Academy

Mensagens : 10
Data de inscrição : 27/06/2014

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [FP] Blavatsky, Romena

Mensagem por Theodore Rockenbach em Dom Ago 03, 2014 10:30 pm


FICHA APROVADA
 


_________________
It's weird to look to all those comun faces and imagine that these same people, that you hate are imagining thousand things about you and yourself. About your stupid life.
avatar
Theodore Rockenbach
The Supreme
The Supreme

Mensagens : 44
Data de inscrição : 09/12/2013

Ver perfil do usuário http://thenewcoven.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum